Matérias

Matérias

O odioso formato de Super onze

Este mês, a editora JBC concluiu o mangá Super Onze no Brasil e as críticas ao formato adotado continuam... Quando em 2013, a editora JBC anunciou Super Onze, em um formato diferente, muitas pessoas já prenunciavam a volta do malvisto formato meio-tanko para as bancas brasileiras. Era um retrocesso, um atraso na vida do mercado de mangás nacional e muitos afirmaram que a editora passaria a colocar um milhão de meio-tankos nas bancas novamente. O formato adotado, contudo, não foi o meio-tanko. Foi um formato ainda mais odiado pelos consumidores habituais de mangás. A editora pegaria Super onze e dividiria os dez volumes originais não em vinte, mas em trinta e quatro edições. Era o fim dos tempos para o mundo otaku.  Onde a editora estava com a cabeça em fazer uma coisa dessas? Com ce...
Matérias

A metamorfose das adaptações literárias

Olá, navegantes! Talvez você não saiba, mas desde 2011 a editora L&PM (famosa por sua coleção de livros de bolso) também vem lançando mangás. Esses lançamentos passam meio despercebidos porque a maioria deles pertence a uma coleção chamada Mangá de dohuka, da EastPress, que tem o objetivo de adaptar para o estilo oriental livros clássicos da literatura mundial. Obras como Hamlet, A Metamorfose e o Manifesto do partido comunista (a lista completa você encontra em nossa página dedicada à editora) foram lançadas e, pouco a pouco, estão enchendo o catálogo de obras publicadas por aqui. Mas não é apenas o maior número de mangás que está aumentando, é o número de adaptações de obras literárias para os quadrinhos. *** Não é um fenômeno novo no Brasil, e nem no mundo. Desde pelo menos meta...
Matérias

Mas afinal para quê serve o Ink Comics?

No final do ano passado, a editora JBC anunciou a criação de um novo selo editorial, o Ink Comics. A ideia era que obras nacionais lançadas pela editora pudessem sair por esse selo. Assim o Henshin mangá, Combo Ranger e Robô esmaga sairiam por esse selo para diferenciar da linha de quadrinhos orientais. Contudo, no evento de lançamento de The Seven Deadly Sins, o Henshin +, foi anunciado que o Ink poderia receber também mangás japoneses que não coubessem na linha editorial "normal" da JBC. Muitas perguntas ficaram no ar. O que haveria de diferente? Que títulos sairiam por ele? No dia primeiro de abril, foi anunciado o primeiro mangá pelo selo Ink Comics, a adaptação em mangá do anime Kill la Kill. Após o anúncio as dúvidas ficaram maiores. Por que esse título não se encaixaria na linha de...