Retrospectiva

Retrospectiva 2019: light novels no Brasil
Retrospectiva

Retrospectiva 2019: light novels no Brasil

Continuando nossas postagens de retrospectiva, agora é hora de falar de light novels, aqueles livrinhos japoneses com ilustrações. Para você que não está totalmente inteirado da situação, desde 2014 as light novels se tornaram figura constante no mercado brasileiro. Antes disso, já haviam sido publicados um livro aqui e outro ali, mas geralmente eram obras derivada de algum mangá já lançado no Brasil (de Samurai X e Death Note, por exemplo) e/ou volumes únicos. Séries mais longas, só começaram a aparecer em 2014. É preciso um parenteses aqui. Realmente séries mais longas só começaram a vir a partir desse ano, porém um tempo antes, a Martins Fontes publicou o primeiro volume da light novel Moribito, uma série com vários e vários volumes, mas não seguiu em frente. Sendo assim, o marco ini...
Retrospectiva 2019 – Outras editoras
Retrospectiva

Retrospectiva 2019 – Outras editoras

Nem só de JBC, NewPOP e Panini vive o mercado brasileiro de mangás. Existem editoras secundárias que volta e meia publicam quadrinhos japoneses, além daquelas empresas eventuais que, no meio de suas publicações, aparece um por mero acaso. Em 2019, isso não foi diferente e tivemos mangás por várias editoras diferentes. Ao todo, foram 11 obras por 6 editoras distintas. Vamos falar delas uma a uma. Agir Apesar de aparecer primeiro nesta matéria, a editora Agir foi a última surpresa de 2019. De repente, não mais que de repente, surgiu a pré-venda de A Mágica da Arrumação em Quadrinhos, o mangá que adapta um dos livros da Marie Kondo, aquela famosa maga da arrumação, e logo foi publicado. Possuindo apenas um volume no total, o mangá foi lançado em novembro, tanto em formato im...
Retrospectiva 2019 – Editora Panini
Retrospectiva

Retrospectiva 2019 – Editora Panini

Depois de falarmos de JBC e NewPOP, dessa vez é hora de vermos como foi o ano de 2019 da editora Panini em nossa nova postagem da série de retrospectiva. Foi o ano com mais lançamentos da empresa? Ou houve algum outro em que a editora se sobressaiu? Você descobrirá a seguir... A gente pode resumir o ano de 2019 da Panini com algumas palavras ou frases: muitos lançamentos, problemas de encadernação, preços altos e reajustes astronômicos. É assim que o consumidor vai lembrar do 2019 da editora, um misto de benesses e equívocos. Foi um ano em que a Panini lançou diversos títulos interessantes, que alegraram o público consumidor, só que ao mesmo tempo foi um ano em que não faltaram motivos para reclamações. A começar, vários mangás sofreram com problemas de encadernação, especialmente al...
Retrospectiva 2019 – Editora NewPOP
Retrospectiva

Retrospectiva 2019 – Editora NewPOP

Continuando nossas postagens de retrospectiva, hoje relembraremos o ano de 2019 da editora NewPOP. Quantos mangás ela publicou? E as light novels? O que teve de diferente? Você verá a seguir. Depois de um 2018 bem intenso, com várias e várias publicações (fora o ano em que a editora publicou mais séries novas e mais volumes), o ano de 2019 da NewPOP começou parado, com um número de volumes bem limitado. Séries como Citrus e Happiness, por exemplo ficaram quase o primeiro semestre inteiro sem receber volumes novos. No todo, o ritmo de publicação diminuiu em relação ao ano anterior, reflexo do calote de duas grandes redes de livraria que entraram em recuperação judicial e que ocasionaram diminuição do fluxo de caixa da empresa. Ainda assim, 2019 não foi pouco produtivo para a editora co...
Retrospectiva 2019 – Editora JBC
Retrospectiva

Retrospectiva 2019 – Editora JBC

Hoje, iniciamos a nossa tradicional série de postagens de retrospectiva, relembrando o que de melhor e o que de pior aconteceu no mercado de mangás em 2019. Fazemos isso todos os anos desde 2015 e agora não seria diferente. Para começar, iremos falar do ano da editora JBC. Com a crise econômica que se iniciou por volta de 2013 ou 2014, os últimos anos foram conturbados para todos, mas no mercado de mangás os reflexos se mostraram bastante pesados  (ou antes transpareceram) a partir de 2016, mas principalmente em 2017 e 2018, quando os problemas do mercado editorial, em especial o calote de duas grandes redes de livrarias e o colapso da distribuição tornaram-se mais intensos. Aos olhos do consumidor, a JBC foi a editora que pareceu mais sentir isso, pois ela teve mudanças significativ...